Crédito pessoal mais barato – Como calcular o valor das mensalidades

Por: CrediSolutions

Mais do que um empréstimo para fazer face a uma despesa inesperada, procura pelo crédito pessoal mais barato? Em primeiro lugar, faz muito bem! Lá porque tem pressa num financiamento não quer dizer que aceite a primeira proposta que lhe aparece à frente. Em segundo lugar, tem de usar (muitos) simuladores para encontrar a opção que mais se adequa às suas necessidades e em terceiro lugar, há que analisar e comparar as informações que esses simuladores lhe vão dar. Mas nós também podemos ajudar!

Claro que já sabe que as informações mais importantes para chegar ao valor do crédito pessoal mais barato do mercado são, para começar, a quantia que pretende e o prazo durante o qual está disposto a pagar as prestações. Porém, será que sabe interpretar os resultados dos simuladores que calculam as mensalidades? Ler as entrelinhas da taxa de juro, TAN, TAEG e MTIC? Comparar o valor anual do empréstimo com o custo total do empréstimo? Pois bem, só através do cálculo de todos os valores envolvidos, chega a informações mais concretas e pode escolher a melhor opção disponível de crédito para si, ou seja, o crédito pessoal mais barato! Como é que isso se faz? Tenha a amabilidade de nos acompanhar!

 

O que é um crédito pessoal mais barato?

É um crédito ao consumo com uma prestação acessível, ou seja, um empréstimo destinado a satisfazer necessidades de crédito a médio prazo, que lhe permite solicitar uma quantia específica e reembolsá-la através de prestações fixas durante um determinado período acordado com o seu banco ou a instituição de crédito.

 

Para que finalidades se pode solicitar um crédito pessoal?

Regra geral, é contraído em situações emergentes, para adquirir bens necessários, pagar propinas, pagar despesas extra de saúde, etc, mas pode ser solicitado simplesmente para cumprir algum desejo pessoal como remodelar a cozinha ou fazer uma viagem.

 

Como funciona o crédito pessoal em Portugal?

Em Portugal o crédito pessoal é regulamentado pelo valor das taxas de juro máximas, sendo que a TAEG (Taxa Anual Efetiva Global) não pode ser superior ao valor em vigor, fixado pelo Banco de Portugal. Assim, se pretende efetuar um crédito pessoal, deve informar a instituição onde vai contrair o empréstimo sobre qual a sua finalidade, pois se o pedido tiver como objetivo pagar estudos ou despesas de saúde inesperadas, por exemplo, a taxa máxima será, à partida, mais baixa do que a aplicável a outras finalidades. Caso não dê indicação sobre o destino a dar ao empréstimo, a taxa máxima aplicada poderá ser mais elevada.

 

Se ainda não conhece as vantagens da CrediSolutions, clique aqui!

 

Simuladores: para saber qual o crédito pessoal mais barato

Hoje em dia, muito devido à Internet, é possível calcular de forma rápida e segura um empréstimo pessoal graças a simuladores específicos construídos para esse efeito. E isto é vantajoso para chegar ao crédito pessoal mais barato, mas também para – pura e simplesmente – saber das condições oferecidas no mercado.

Face a tantos números e siglas complicadas, grande parte dos clientes não quer nem tem paciência para olhar com atenção para as condições oferecidas pelos bancos, quando solicitam um empréstimo. E por esse motivo são muitas vezes surpreendidos com taxas e encargos, além dos juros, que desconheciam. Daí que seja muito importante entender como deve calcular um empréstimo pessoal. E mais do que o calcular, é preciso saber interpretar os seus resultados! Claro que os bancos, instituições financeiras e intermediários de crédito fornecem essas informações e ajudam-no a interpretar os dados, presencialmente. Mas se prefere ler sobre o assunto e chegar às suas próprias conclusões de forma autónoma, através de pesquisas online, feitas de onde quiser e à hora que bem entender, a nossa sugestão é uma e só uma: simuladores!

Estas ferramentas disponibilizadas por bancos, financeiras e intermediários de crédito, permitem-lhe saber qual o crédito pessoal mais barato, sim, desde que não seja avesso a pesquisas, claro! O leque de simuladores online é grande e diversificado, mas em lugar de se assustar com o número de simulações que pode – e deve – fazer, alegre-se por ter essa feliz oportunidade para comparar resultados. E chegar à escolha mais acertada: o crédito pessoal mais barato!

 

Como funciona um simulador?

Como o nome indica, um simulador simula, ou seja, dá uma ideia concreta ao seu utilizador de algo ou alguma informação que ele queira obter, neste caso do valor a pagar pela mensalidade do crédito pessoal. Por outras palavras, permite que um consumidor calcule o valor da prestação mensal de um crédito ao consumo (novo ou já existente) e verifique como essa prestação pode ser diferente, consoante vai fazendo alterações nas suas variáveis: alterações no montante do capital, no período do empréstimo ou na taxa de juro, por exemplo.

O resultado da simulação permite também conhecer o custo total do empréstimo, pelo que um simulador se impõe como o principal instrumento de apoio para quem pretende contrair um crédito pessoal.

De ressalvar ainda que os dados inseridos pelo utilizador são da sua exclusiva responsabilidade e as simulações obtidas não vinculam as entidades responsáveis pelo portal, nem substituem os cálculos efetuados pelas instituições de crédito. Ou seja, as condições apresentadas são uma simulação, apenas, e o crédito pessoal fica sujeito a aprovação das entidades credoras.

 

São vários os simuladores de crédito online, entre eles o da CrediSolutions! Experimente-o!

Como calcular as mensalidades do crédito pessoal para saber se é o mais barato?

 

Dados: o que tem de inserir num simulador

Para simular o valor da prestação do seu crédito pessoal, deve inserir no simulador alguns dados que dependem dos requisitos do banco ou intermediário de crédito, mas que regra geral são os seguintes:
 

  • Montante do empréstimo (valor que pretende)

Antes de avançar com uma quantia, determine quanto dinheiro precisa realmente e não peça dinheiro a mais, arriscando-se a ter dificuldades em proceder aos pagamentos da mensalidade. A saber, os montantes mínimo e máximo costumam variar entre os 500€ e os 75.000€, contudo os valores dependem dos bancos ou das instituições financeiras de crédito e do tipo de crédito em causa, pelo que deve consultar as condições na Ficha de Informação Normalizada (FIN) – um documento padrão de aplicação obrigatória, criado pelo Banco de Portugal, que fornece a informação relativa ao crédito, permitindo-lhe comparar as diferentes ofertas disponíveis.

Antes de fixar um valor, lembre-se também de não ultrapassar a sua taxa de esforço com esse empréstimo – sendo que a taxa de esforço indica a qual a percentagem do seu rendimento mensal que pode ser utilizada para pagar os encargos de um crédito, de modo a evitar o sobre-endividamento. Calcula-se utilizando a fórmula: encargos financeiros mensais / rendimento x 100.
 

  • Prazo do empréstimo (período em meses durante o qual vai pagar prestações)

Também os prazos variam consoante o banco ou intermediário de crédito em causa e a finalidade e tipo de empréstimo, mas regra geral vão dos 12 a 120 meses, sendo que pode escolher o máximo de prestações em que quer devolver o dinheiro. Contudo, deve evitar prazos muito longos, uma vez que quanto mais tempo levar a pagar o crédito, maiores serão os juros. E informe-se sobre amortizações antecipadas, para que saiba se pode acabar de pagar o empréstimo mais cedo do que o previsto, sem penalizações.


Não se esqueça que, para comparar propostas de crédito pessoal, deve colocar em todos os simuladores o mesmo montante, prazo e modalidade de reembolso.

 

Exemplo: resultado de simulação de crédito pessoal mais barato

Por exemplo, se pedir um financiamento de 15.000€ por um prazo de 84 meses, terá a pagar uma mensalidade de 246,08€, de acordo com uma TAN de 9,25%, TAEG de 10,8% e MTIC de 21.022€. Confuso? Para que entenda melhor o resultado desta simulação, vamos descrever os seus conceitos:

  • Financiamento

    Capital necessário para o seu projeto pessoal (no caso do empréstimo pessoal).

 

  • Mensalidade

    Quantia a pagar por mês por esse financiamento ao banco ou à instituição financeira.

 

  • Prazo

    Espaço de tempo durante o qual vai pagar a mensalidade em causa e que normalmente é determinado em meses.

 

  • TAN

    Taxa Anual Nominal (TAN) é uma das taxas de juro aplicável num crédito pessoal e significa, como o nome indica, os juros anuais de um crédito. O seu objetivo é ajudar a determinar a prestação mensal do crédito, sendo que para o efeito terá de dividir o seu valor pelo número de prestações anual.

 

  • TAEG

    Taxa Anual Efetiva Global (TAEG) é a taxa que indica o custo total do crédito para o cliente, incluindo o valor de juros, encargos, comissões e despesas relativas ao processo de crédito, e ainda os valores de seguros ou outros serviços que possam estar associados à contratação de um empréstimo, tais como despesas de manutenção de conta, custos relativos às operações de pagamento, etc. Esta taxa costuma ser o item mais valioso para avaliar propostas e chegar ao crédito pessoal mais barato.

 

  • MTIC

    Montante Total Imputado ao Consumidor (MTIC) corresponde ao valor total que o cliente paga pelo empréstimo, ou seja, à soma do montante do empréstimo e dos juros, comissões, seguros, impostos e outros encargos. Também o MTIC é dos itens mais importantes para comparar as suas propostas de crédito, uma vez que engloba todos os custos do empréstimo.

 

Nunca é demais repetir que, para obter o crédito pessoal mais barato, ou seja, um empréstimo com uma mensalidade exequível para si, deve utilizar simuladores para avaliar as condições propostas pelo seu banco, mas também por outras instituições financeiras e intermediários de crédito. Boa sorte!

 

Não perca tempo, clique aqui e simule já a sua prestação. Está a um passo de encontrar o crédito pessoal mais barato!

Please follow and like us:
error

Artigos relacionados