Financiamento – Como obter um crédito particular

Por: CrediSolutions

Já pensou que pode precisar de um financiamento para pagar a universidade do seu filho? Para pagar despesas médicas inesperadas, remodelações em sua casa ou simplesmente para comprar um automóvel ou trocar de frigorífico? Se já considerou esta opção, então este artigo pode ajudá-lo a perceber como obter um crédito pessoal com a melhor relação custo/benefício possível.

A vida não está fácil e por isso, cada vez mais pessoas recorrem a um financiamento através de créditos pessoais quando precisam de dinheiro para cumprir com algum objetivo que contribua para o seu bem-estar.
Descobrir as várias opções disponíveis no mercado não é uma tarefa simples, devido à multiplicidade de ofertas, mas no meio de tantas opções o crédito pessoal é, efetivamente, o mais rápido e simples de obter! Não implica grandes contas, nem decisões difíceis nem muitos requisitos. Mas facilita a entrada de dinheiro na sua conta!

 

O que se entende por financiamento?

Genericamente, denomina-se por financiamento o ato de emprestar determinado valor. Por exemplo, se precisar de dinheiro para adquirir um bem e solicitar um crédito pessoal a um banco ou instituição de crédito, e o mesmo for aprovado, o depósito do valor em causa na sua conta bancária é chamado de financiamento.

Portanto, os financiamentos ocorrem quando uma instituição financeira liberta determinado valor para um cliente, sendo que este fica obrigado a restituir esse valor em parcelas periódicas (que costumam ser mensais) que correspondem ao total emprestado, mais (pelo menos) taxas de juros, de acordo com o montante e prazo de pagamento acordado.

Daí que, se está a pensar em pedir um empréstimo pessoal, seja muito importante que esteja ciente do valor das mensalidades, sim, mas também do valor final porque há casos em que a cobrança de juros é tão alta que o crédito acaba em prejuízo.

Seja como for, os bancos e instituições financeiras possuem várias modalidades de financiamento para pessoas físicas e jurídicas, cada uma com uma característica que a torna mais adequada a casos específicos, pelo que só tem de ter paciência para escolher a hipótese que mais lhe agrada.

 

Quem pode pedir um financiamento?

  • Pessoas particulares que necessitem de dinheiro para adquirir determinado bem ou serviço: do pagamento de estudos à compra de habitação, passando pelo crédito automóvel e pagamento de despesas de saúde, entre outras.
  • Empresas e instituições que precisem de dinheiro para se expandirem ou adquirirem novos equipamentos, por exemplo.

 

Saiba porque deve solicitar o seu crédito pessoal à CrediSolutions!

Financiamento-Como obter um crédito particular

 

Quais são as principais fontes de financiamento?

As poupanças pessoais são a primeira fonte de financiamento a que uma pessoa recorre num aperto financeiro, claro, mas não havendo poupanças há que enveredar por outros caminhos, não é verdade? É assim que surgem as outras fontes: venda de bens próprios, heranças, empréstimos informais junto de familiares e amigos e empréstimos bancários, entre outros recursos. Ora, os empréstimos bancários são a forma de crédito mais comum, fácil e eficaz para obter o dinheiro que precisa desde que, claro, dê garantias de que vai pagar valor que lhe emprestaram.

 

Para que finalidades se pode solicitar um crédito pessoal?

Regra geral, é contraído em situações emergentes, para adquirir bens necessários, pagar propinas, pagar despesas extra de saúde, etc, mas pode ser solicitado simplesmente para cumprir algum desejo pessoal como remodelar a cozinha ou fazer uma viagem.

 

Qual a importância de um financiamento?

A utilização de financiamentos é fundamental em qualquer sistema económico porque permite que os consumidores em dificuldades económicas, possam comprar produtos/serviços fora de seu alcance imediato, como casas, empresas, automóveis, computadores, mas também estudos, despesas médicas e remodelações, entre outros.

Nesta ciência de administrar fundos, independentemente do objetivo, aprende-se a poupar dinheiro e a emprestar dinheiro, lidando com os conceitos de tempo, prazo, quantia e risco. E interligando-os. Assim, os empréstimos são cruciais na educação financeira e, quando bem utilizados e geridos, podem resultar numa situação financeira saudável!

 

Como obter um financiamento particular?

Com a crescente oferta de crédito pessoal rápido e imediato, pode sentir-se baralhado na hora de solicitar o seu empréstimo, mas saiba que apesar de ser preciso comparar ofertas para chegar à proposta mais indicada – e dar garantias de que consegue pagar o empréstimo – pouco mais precisa para enviar o seu pedido. Mas antes de o fazer há que determinar duas variantes:

  • Montante – ou seja, quanto dinheiro precisa realmente e não se sentir tentado a pedir dinheiro a mais, arriscando-se a ter dificuldades em proceder aos pagamentos das mensalidades. A saber, os montantes mínimo e máximo costumam variar entre os 500€ e os 75.000€, contudo os valores dependem dos bancos ou das instituições financeiras de crédito e do tipo de crédito em causa, pelo que deve consultar as condições na Ficha de Informação Normalizada (FIN), um documento padrão de aplicação obrigatória, criado pelo Banco de Portugal, que fornece a informação relativa ao crédito, permitindo-lhe comparar as diferentes ofertas disponíveis.
    Antes de chegar ao valor final, lembre-se também de não ultrapassar a sua taxa de esforço com esse empréstimo, ou seja, não ultrapassar a percentagem do seu rendimento mensal que pode ser utilizada para pagar os encargos de um crédito, de modo a evitar o sobre-endividamento.

 

  • Prazo – ou seja, período em meses durante o qual vai pagar prestações. Também os prazos variam consoante o banco ou intermediário de crédito em causa e a finalidade e tipo de empréstimo, mas regra geral vão dos 12 aos 120 meses, sendo que pode escolher o máximo de prestações em que quer devolver o dinheiro. Contudo, deve evitar prazos muito longos, uma vez que quanto mais tempo levar a pagar o crédito, maiores serão os juros. E informe-se sobre amortizações antecipadas, para que saiba se pode acabar de pagar o empréstimo mais cedo do que o previsto, sem penalizações.

 

Se já determinou o montante e o prazo, clique aqui e conheça as vantagens da CrediSolutions!

 

E depois, sim, há que atender aos requisitos para se obter um financiamento particular que também variam consoante o banco e instituição financeira, mas que, regra geral, incluem o cumprimento deste conjunto de pressupostos:

  • Não ter histórico de créditos em incumprimento ou o seu nome na lista negra do Banco de Portugal.
  • Ter uma situação profissional estável, de preferência ser efetivo no seu posto de trabalho.
  • Apresentar garantias, tais como uma taxa de esforço até 40%. Embora os créditos pessoais exijam poucas garantias em troca de um crédito que demora em média 2 dias, tem de ter em conta que quanto maior for o montante em causa, maior será o critério com que as instituições financeiras vão avaliar o seu pedido. E, além da documentação necessária, o valor percentual da taxa de esforço é útil para verificar se está em condições de pagar as prestações. A taxa de esforço indica a percentagem do seu rendimento mensal que pode ser utilizada para pagar os encargos de um crédito, de modo a evitar o sobre-endividamento (calcula-se utilizando a fórmula: encargos financeiros mensais / rendimento x 100).
  • Pagar taxas de juro, que apesar de idênticas, devem ser analisadas atentamente, pois alguns bancos que aparentemente têm taxas de juro mais baixas, cobram comissões de avaliação, de dossier e outras que acabam por igualar o custo.
  • Comparar a TAEG das diferentes propostas, sendo que a TAEG (Taxa Anual Efetiva Global) é a taxa que indica o custo total do crédito para o cliente, incluindo o valor de juros, encargos, comissões e despesas relativas ao processo de crédito, e ainda os valores de seguros ou outros serviços que possam estar associados à contratação de um empréstimo, tais como despesas de manutenção de conta, custos relativos às operações de pagamento, etc. A TAEG não pode ser superior ao valor em vigor, fixado pelo Banco de Portugal.
  • Apresentar um fiador, caso não cumpra com algum ou alguns destes requisitos.
  • Preparar os documentos necessários, pois todas as instituições financeiras vão pedir um conjunto de documentos que lhes permitam uma avaliação do risco do cliente:
    • Fotocópia do B.I. e cartão de contribuinte ou do Cartão de Cidadão (para cidadãos de outra nacionalidade que não portuguesa, será necessária a apresentação de autorização de residência).
    • Contrato devidamente assinado conforme documento de identificação.
    • Comprovativo de IBAN.
    • Comprovativo de morada.
    • Última declaração de IRS no caso de trabalhadores por conta própria.
    • Recibos dos rendimentos dos últimos 3 meses no caso de trabalhadores por conta de outrem.
    • Documento comprovativo de reforma, no caso de reformados.

Como viu, para escolher um crédito pessoal num rol de diferentes alternativas, minimizando o custo total do seu empréstimo, importa pesquisar, simular e ter em consideração todos os custos envolvidos. Não arrisque! Analise muito bem o mercado antes de subscrever um crédito pessoal!

 
Pode começar por usar agora mesmo o nosso simulador! Clique aqui e conheça o valor da sua prestação! 

Please follow and like us:
error

Artigos relacionados